Coisas que eu não imaginava sobre a minha gravidez – Parte 1

Olá pessoal!

Sei que estou bem sumida ultimamente, mas voltei e com uma grande novidade: estou grávida!  E obviamente feliz da vida que serei mãe pela primeira vez!

IMG_1753

É tudo tão novo, tão diferente, que resolvi fazer um post com o que mais me marcou nessas últimas semanas. Só para vocês entenderem, eu descobri minha gravidez com 5 semanas, no finalzinho de setembro, e na próxima quinta, dia 24 de dezembro, entro na 17ª.

Sei que cada gestação é diferente e que os sintomas da gestação, assim como as experiências, são diferentes de mamãe para mamãe, mas sei que muitas mulheres se identificarão comigo, pois é inevitável conversar com amigas que já tiveram filhos e aquelas que, assim como eu, estão ansiosas à espera de seus filhos ou filhas.

1 – Logo no primeiro mês?!

Sim, engravidei logo no primeiro mês após 6 anos de uso ininterrupto de pílula. Já ouvi muita gente dizer que o corpo “se acostuma” com o medicamento e por isso pode levar alguns meses até conseguir engravidar. Não caiam na besteira de acreditar nesse mito! Eu já tinha sido avisada pela minha médica e sabia da possibilidade, mas mesmo assim fiquei em choque quando descobri.

2 – Tem mesmo alguém aí?

Nas primeiras semanas, tudo o que sentia era uma dor enorme e inchaço nos seios, além de uma cólica que ia e voltava toda hora. Parecia aquela TPM chata avisando que nos próximos dias eu ficaria imprestável. Quando descobri pelo exame de farmácia, não consegui acreditar e em seguida fui fazer o de sangue. No primeiro ultrassom, não consegui ver nada além de um pontinho branco.

Acho que a ficha caiu de verdade quando os enjôos começaram e tive certeza que tinha um serzinho crescendo dentro de mim quando, no exame de translucência nucal (fiz com 11 semanas), consegui ver um bebezinho todo inquieto, mexendo as pernas, passando a mãozinha no rosto e dando cambalhotas, ali dentro da minha barriga. Depois daqueles minutinhos vendo aquela pessoinha se mexendo foi que pensei: vou ser mãe!

3 – Ansiedade para ver minha barriga crescer

Nenhuma mulher em sã consciência sonha em ter barriga e lutamos para isso diariamente, seja com academia, com dieta ou a intenção de começar uma na semana seguinte. Isso mudou em mim, quando, depois de algumas semanas grávida via que minha barriga ficava somente um pouquinho inchada em alguns horários durante o dia, principalmente à noite. Com 14 semanas, aquela pancinha virou uma parte permanente em meu corpo, e a partir da 15ª minha barriga começou as crescer muito! É incrível a sensação de acordar e perceber que sua barriga cresceu de um dia para o outro, e a cada dia que passa gosto mais de passar a mão nela, conversar com ela…

4 – Parar de fazer exercicios e minha ansiedade em voltar logo

Quando engravidei, estava pegando firme na academia e raramente faltava em algum treino. Inclusive, um dia antes de descobrir, fiz um dos treinos de perna mais pesados da minha vida. Imaginem o choque quando minha médica pediu para que eu ficasse até a 12ª semana sem fazer exercício nenhum, nem uma caminhada leve, por conta das minhas cólicas  que não passavam. Óbvio que fiquei super triste, pois nem no momento mais sedentário da minha vida fiquei tanto tempo assim sem exercícios, mas nesses horas temos que pensar  mais naquela pessoinha lá dentro de nós do que em nós mesmos. Prefiro pecar pelo excesso a me arriscar. Hoje já voltei a malhar, mas os treinos pesados ficarão para depois da gestação!

5 – Eu, vegetariana?

Um belo dia comi um churrasco maravilhoso que meu marido fez na casa do meu pai. No dia seguinte, não consegui mais ver carne na frente e aí comi frango, que no outro dia me deixou com nojo. Aí tentei peixe, mas só de olhar para ele já ficava com enjôo. Foi assim que aconteceu da 7ª até a 9ª semana da minha gestação. Não cheguei a passar mal, mas qualquer carne que visse na frente já me embrulhava o estômago. Por 3 semanas inteiras, tudo que eu queria era macarrão com molho de tomate, massas com molho vermelho. Não conseguia comer nada além disso, frutas azedas e bolachinhas de água e sal. Leite passou a me fazer mal, café (que eu amo de paixão) teve que ser cortado por eu não aguentar o cheiro, e assim foi. Hoje já estou comendo de tudo, mas confesso que comer carne vermelha ainda não me agrada totalmente e o café provavelmente ficará fora da minha lista de bebidas por um bom tempo.

6 – Tanta certeza sobre o sexo do bebê

Desde que fiquei grávida dizia que seria mãe de um menino, que sentia que era um menino e não me via como mãe de menina. Os palpites nos ultrassons com 11 e 14 semanas foi de que teríamos um menino, e deixamos para fazer o exame de sangue semana passada, para não correr o risco de passarmos o Natal sem saber o sexo do nosso filho.

Imaginem a minha surpresa, com 16 semanas, mais dois ultrassons feitos e resultado da sexagem fetal, descobrir que estou esperando uma menina! Instinto materno à parte (o meu falhou feio comigo!), sei que a chance de errar era de 50%. Nunca me imaginei com uma menininha nos braços, mas a notícia foi maravilhosa e às vezes me pego rindo sozinha de tão feliz! Como fomos pegos de surpresa, ainda não decidimos o nome. Acredito que logo decidiremos!

Bom, por hoje é só e espero que tenham gostado de compartilhar comigo um pouquinho do que estou passando! Ainda tem muita coisa que quero escrever aqui, inclusive o restante das curiosidades desse momento mágico (e às vezes nem tanto) da minha vida.

Até a próxima!

Beijos,

Lilian

 

 

 

 

2 pensamentos sobre “Coisas que eu não imaginava sobre a minha gravidez – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s